segunda-feira, 14 de março de 2011

Almirante Williams Brousse !


Qual o nome do senhor capitão, pois ainda não nós apresentamos.
Nessa hora, Elizabeth desce a escada fica no quinto degrau, e só olhando.
Merolly olha para cima e ver Elizabeth que faz um carinha de riso, o marujo vai e pergunta:
_Quais as ordem Capita?
Elizabeth, responde antes que Merolly e diz:
__ Mate todos.
O Capitão pergunta o por quê?
Merolly veio ao encontro do Capitão na mesa e pega uma garrafa de rum que estava a sua mesa, e diz:
__Bem agora Capitão podemos conversa?
Ele responde:
__Sim, Seguimos com a conversa.
__qual o seu nome?
Ele responde com firmeza na voz:
__Almirante Williams Brousse e acrescenta sou Almirante da Coroa Real, estou a serviço da Condessa Caroline Maria  Collin.
Ela fala meia com curiosidade:
___ Interessante! Um cavaleiro da coroa real.
Mas pelo visto tem muito inimigo, pois estava sendo fortemente atacados por aquele outro navio, sem bandeira.
Senhor Williams respondeu:
___ tinha recuperado minha carga, que fora roubada por eles a noite anterior, e os seguir e conseguir interceptar-los, senão fosse você, teria conseguido.
Ai Merolly indaga pela carga ao senhor capitão.
Deve ser uma carga preciosa pergunta ela?
__ ele só responde com um simples sim,
Ela quer sabe qual o valor real dessa carga.
E pergunta:
__ deve ser valiosa.
Ele responde:
Coisa de rei, muito valioso.
Então aquelas caixas, o que há nela, indaga Merolly.
Ele responde:
Que não sabe do seu conteúdo, mas ela sabe que ele mente.
Elizabeth vai e diz friamente:
__ Abrimos e o mistério acaba, e ri alto.
Merolly por sua vez se vira para o capitão, com a caneca de rum, da um gole e diz:
__ E ai capitão que acha?
Ele exalta:
__ Você não sabe com quem esta mexendo mulher do mar.
Elizabeth  deu um pulo e já  estava bem próximo ao capitão,e coloca a sua mão na pistola ,e diz secamente:
___ Quem mexer conosco, seria melhor, já reserva seu lugar no fundo no mar ,e  ajunta-se  a alguns dos seus  marujos.
E outra coisa que  eu quero , eu tomo seja  quem for  seu dono .
Merolly resmunga baixinho:
___Elisa, Elisa e rir também.
Capitão Williams volta-se para Elizabeth e pergunta:
___Que fez com meus marujos?
Elizabeth responde, dando a costa:
__os meus amigos estavam com fome e os alimentei como gostaria de fazer com você, mas...
Para e olha para merolly, essa esta calada só olhando a situação dos dois.
Ai Williams olha seriamente para Merolly e pergunta:
__ è esse o tratamento para com um capitão?
Merolly só  ri e fala :
__  vamos acaba com essa  situação e abriremos essas  caixas, pois temos trabalho a  fazer.
Williams se vira para Elizabeth e indaga novamente.
Cadê meu Tenente?
Capitão, responde ela...
Se ele não foi junto, como refeição para meus amigos, esta a no porão com os outros menos nervosos, E riu.(parei aqui )
Merolly foi e mandou que o marujo abriu-se as caixas, pois estavam com pressa de sabe o conteúdo delas.
Quando o marujo abriu a primeira caixa.
Tinha moedas e ouro, e as outras, eram parecidas, só tinha duas que continha mapas e livros desconhecido para Merolly.
Já uma continha, pedra e uma coisa pequena parecendo, como se fosse conchinha do mar.
Um pouco maior, com um tipo de gancho, que parecia um anel colado na concha.
Merolly pegou e ia tentar abrir , quando colocou o dedo dentro do gancho, O capitão grita...
Se você puxa, vamos morrer todos e seremos comida de tubarão. Merolly retira, mas rápido possível o dedo do gancho, mas fica com a conchinha na mão.
Observando, com cautela, e ao mesmo tempo, curiosa em sabe como o capitão sabia sobre essas conchinhas, coisa que Merolly nunca tinha visto. Foi ai que o marujo se virou para Elizabeth e perguntou: __Capitã que faremos com  isso tudo,  quais as ordem?
__Elizabeth olha para Merolly, essa só olhar a carga e pega um mapa da caixa e senta a mesa  e  pergunta:
__Capitão Williams que interessante rota já navegou nelas?
Ele responde:
__Eu não, mas o Com odoro, que tive a oportunidade de navegarmos  junto  já.
Merolly se interessou pelos mapas, e mandou guarda os livros e as pedras e especiarias no porão. Mas os mapas e  as conchinhas  na sua cabine iria permanece.
Elizabeth deu as ordens e se virou para Merolly e diz: irei providenciar refeição para todos nós e saiu. Merolly permanece sentada e o Almirante se levanta e anda em direção a janela, antiga posição de Merolly, ele olha pela janela, e se vira para Merolly e pergunta: __O que ira fazer comigo?
Pois suas perguntas já foram respondidas, agora sou desnecessário aos seus propósitos. Ela continua olhando os mapas e responde:
__Nada
Você continuara meu prisioneiro ate eu achar que não preciso, mas  de você.
Ele se voltar e continua a olhar pela janela, quando Merolly deu um suspiro,ele se virou e a olhou com  mas atenção e fico observando-a, as linhas do seu rosto, e sua mãos, os lábios e ele caiu em um pequeno devaneio, boca bonita, perfeita, lábios rosados, contorno de dar inveja, será que tem gosto, de manga ou gosto de sal do mar.
Merolly observar que o  almirante Williams  a  observar e  fica sem jeito por um minuto,ela vai e  pergunta: __precisa de alguma coisa Capitão?
Ele responde: __ sim, se possível gostaria de um banho, pois já tenho dois dias sem me banhar. Ela o olha agora com cautela, e observa que ele é cuidadoso e tem um cabelo preto, olhar profundo, boca pequena, lábios carnudos, mão grande, um belo homem disso ela não pode negar.
Então ela vai e responde:
__mandarei providenciar seu banho capitão, antes ou após do jantar? Ele responde:__se possível antes, e algumas roupas já que, estou no se navio e minhas vestes estão no meu navio e olha em direção a janela.
E ver o seu navio alguns metro dali.
Merolly vai e responde: __Se não se incomodar de vestir algo dos marujos? Ele responde?
__Não, Mas que gostaria de ter as minhas  próprias veste, senão fosse incomodo,.
Ela responde: __ mandarem pegar.
No mesmo instante um marujo desce a escada, e recebe as ordens e sai pra cobri-las.
Em alguns minutos retorna o marujo com uma das suas calca e uma camisa ,não cheira mau , mas percebe que foi lavada  e joga em direção a Capitão e sair.
Merolly ri, nessa mesma instante Elizabeth entra e diz:
__Capitão seu banho, ela olha Merolly essa que se encontra ainda sentada, e pergunta:
__ele vai toma o banho, no Deque dos marinheiros ou aqui?
Merolly responde: __Pode ser aqui mesmo, e ele olha as duas e ri, com um riso meio safado.
Olha as suas mãos amarrada e  a estende para ser cortada a corda.
Antes ele pergunta ou vocês querem me banhar?
Merolly o olhar e diz: Pouco conversa Capitão e se banhe. Irei me retirar,e não demoro, quero minha cabine pronto quando voltar.

Já Elizabeth ri e diz:_ : Eu fico vigiando o Capitão qualquer gracinha dele, ele toma banho junto ao tubarão no fundo do mar.
Elizabeth corta a corda e empunha a sua pistola na direção do capitão e fica na ponta da escada, e espera o Capitão tirar a roupa, ele a olha e diz:
__Vai ficar ai?
Eu não poderei fugir daqui se é isso que á incomodar.
Ela responde sem retrucar: __Se banhe, e pouca conversa, pois meu dedo ficando cansado, e estou também com fome.
Ele começa a tira a roupa, e inicia o seu banho. Seu corpo musculoso aparece, com a sua pela morena amostra, Elizabeth olha com uma sede na boca, faz algum tempo que não deliciar um corpo, bonito. Admira principalmente suas partes intimas e quando, se dar conta o capitão esta a olhando com um riso meio safado no rosto.
Elizabeth interrompe seu sorriso, e fala: _ vai demora esse seu banho?
Ele vai e responde:
__estou aproveitando, o máximo que posso, pois não sei quando irei me banha de novo.

Merolly a capitã !





Quando um dos seus marujos lhe chama, e lhe comunica de que o capitão quer lhe fala.
Ela responde:
­­­___ Trago-o vamos ver o que ele deseja, se aproxima um Jovem moreno, olhos claros, sem chapéu, cabelos pretos, pois antes ele tinha um na cabeça, pele cuidada, roupa delicada, apesar de suja, pelo combate, com aparecia de uns 30 anos,
Ele se aproxima e logo fala: __Quero fala com o seu capitão agora.
Merolly olhou de cima a baixo, responde: __ele esta no navio, o que queres com ele?
O homem responde:  _  não falo com um simples marujo, pois Merolly vestia-se como um marujo qualquer,   para não ser  reconhecida,quase rasgada.
Merolly só riu e voltou a olhar em direção ao navio onde Elizabeth estava, e notou que o sol brigava com as  nuvens para  sair , e ficou admirado por um instante que esqueceu o Jovem. O homem repetiu em voz alta, Não escutou pobre marujo__ Quero falar com seu capitão.
Merolly virou-se e respondeu: _Ele esta no outro navio, e se você procura muita conversa será jogado no mar. O homem olhou assustado, pela resposta daquele simples marujo, e o olhou sem entende muito. De repente a Elizabeth sobe no navio, e vem logo ao encontro de Merolly e acena com a mão, como se pergunta esta tudo bem?
E com um sorriso Merolly, lhe responde:
_Estou bem
Ai o homem perguntou de novo já gritando?
___cadê esse seu capitão?
Merolly olhou para Elizabeth e aponta, e responde:
É esse ai nosso capitão. O homem ficou paralisado, pois Elizabeth é uma mulher.
Ele fala:
Não é possível, pelas barbas de Netuno __Uma Mulher, a maldição sobre caiu sobre mim, Sou prisioneiro de uma pirata mulher.
Elizabeth rir e dá-lhe a costa, e olha para Merolly, essa que balança a cabeça e a segue, ate a cabine. Elizabeth lhe informa que no outro navio, o outro capitão era nervoso demais e ela deu um remédio, para acalmá-lo, as duas riram.
E começou a informá-la o que tinha na carga muito ouro especiaria e tapete coisa de rei afirmou Elizabeth. Já nessa fala Merolly:
Especiaria e moeda de ouro e muita caixa estranha, e que ela gostaria de sabe os seus conteúdo.
Elizabeth então fala:__ Se é para sabe o conteúdo vai sabe já.
Grita um marujo e lhe uma ordem: __ Trazer o prisioneiro, quando esse se aproxima com as mãos presa nas costa. Ele já vem murmurando e pergunta:
È esse o tratamento que um capitão recebia?
Elizabeth não respondeu nada só olhou a Merolly.
Essa que estava ao lado da janela com um mapa. __Essa foi e respondeu
Se a situação fosse ao contrario, qual seria o seu tratamento?
Esse se virou para Merolly e respondeu:
____Para vadia só o ferro ou porão ou ser nosso divertimento durante a viagem, pra isso serve  as mulheres.
Elizabeth já estava com a ponta da espada no pescoço dele.
Merolly balançou a cabeça dizendo não.
__Deixo-o falar
Ele que estava em pé, sentou-se a cadeira perto da mesa de Merolly, e ergue os olhos para Elizabeth, essa que estava na ponta da escada e perguntou:
__sempre que essa outra Mulher fala você obedece por quê?
Ai como Elizabeth já tinha retirado a ponta da espada da garganta dele, a pedido de Merolly.
Ela foi e lhe respondeu:
Eu iria te responde essa pergunta do meu jeito, passando o punhal na mão, mas como essa outra mulher, a qual você se refere tem um coração de ouro.
Vou lhe responde como ela gostaria de ouvir:
Essa mulher a quem se refere, é quem manda aqui, é quem você tanto procura para conhece, O capitão. Oh! Melhor a capitã. O pobre homem arregalou um olho muito assustado, como pode ser isso navio de mulher pirata, só poder ser maldição dos deuses. E olha o céu, como se fazendo uma prece e disse:
__Por Netuno que maldição, estou amaldiçoado, ser prisioneiro de uma mulher, além disso, uma mulher  pirata.
Ai Merolly o interrompeu dizendo:
Sr., a sua surpresa me alegra, pois nem toda vadia, tem essa vantagem de ter um capitão em suas mãos como prisioneiro.
Ele a interrogou-a
__Qual será o tratamento agora?
Merolly lhe respondeu:
__Será trato como um capitão.
Ele a olhou e balançou a cabeça como dizendo:
Ate que fim. Merolly olhou para Elizabeth, e essa da às ordens, cabíveis sobre o capitão, e ainda pergunta alguma exigência capitão: __ esse responde:
Só que prefiro peixes, e frutas, vinho, fora isso não.
Elizabeth que já estava subindo a escada para providenciar as coisas olha o capitão e murmura:
__ Que capitão é esse que comer comida de Fêmea e sair com um sorriso meio sarcástico no rosto.
Merolly que estava ao lado da janela permaneceu ali olhando o mar..
E o capitão que estava sentado junto à mesa, ficou observando com um olhar de curiosidade, mas não demorou muito o silencio que reino no ambiente foi interrompido pela voz do marujo que acabara de adentra  na cabine e fala :
A capitã pergunta que faremos com a tripulação do capitão?
Ai Merolly se vira e pergunta ao capitão:
__O que faremos com sua tripulação Senhor Capitão.
Ele só a olha e pergunta?
__ O que queres fazer?
__Vamos agora pelo começo!
Responde ela.

A captura dos Navios Bela Esperança !



Para continuarem ao combate ao outro navio, e leva os prisioneiros ao porão.
Quando de repente, o outro navio não respondia, mas ao combate, parou de atirar.
O seu navio começou a muda a direção. Se aproximando cada vez, mas do qual a Elizabeth se encontrava, daí Merolly percebera que a Elizabeth tinha também obtido êxito na missão, e riu. Mandou um dos seus marujos, olharem as condições do navio, e se poderiam navegar ou se estava muito danificado que teriam que explodir-lo. Em alguns minutos, retorna o marujo, e informar que o navio esta danificado, mas que só poderia arruma no ancoradouro, mas que poderiam fazer-lo navegar ate lá.
Ela balançou a cabeça que assim fosse feito, ele se retirou para acatar as ordens recebidas, e leva o Capitão sua tripulação para o porão. Ela vai e retirar sua pistola levantou para o alto e atirou. Era o sinal para Elizabeth, que estava tudo bem e que tinha sido tudo de acordo o combinado, não demorou muito, veio à resposta do outro navio, dois tiros.
Elizabeth  que no outro navio, estava mostrando ao seu marujos e a tripulação do navio saqueado. Que não era de brincadeira, tinha acabado de atirar no capitão, pois ele não acatou suas ordem, e ela  deve que mostra aos homens quem mandava ali .
Como ela ouviu o sinal de Merolly, aproveitou e atirou no capitão como sinal e riu.
E falou alto:
Aqui só foi um aviso, quem não obedece, será jogado aos tubarões. Merolly se assenta no para-peito da proa do  seu navio, e fica olhando os corpos dos feridos sendo jogados no mar, como os dos mortos também.

O Inicio das Aventuras !





Em um das suas aventuras, pelo mar elas conheceram o Almirante Williams.
Era uma noite estrelada, o céu brilhava com a luz da lua, essa que refletia sua luz, mas águas negras do mar do norte da Inglaterra. E se podia ver, como as espumas brincavam com as ondas, e o caminho do navio eram iluminados pela beleza da lua. O Vento sobrava levemente e tranqüilo tudo parecia tranqüilo, uma brisa, Passava no rosto da tripulação, e Merolly que estava sentada no peito da proa no convés, olhando o horizonte, no qual só se via os reflexos da luz da lua. E ela á pensar, em como é lindo a vida. De repente aparece Elizabeth com o chapéu cobrindo seu rosto, ela  acabara de se banhar, e  vestira uma simples vestido,
 Com uma caneca de rum e se aproxima. E estende a caneca e fala: __Anne é assim que ela chama Merolly: __ Seu rum. __Parece que você adivinha meu pensamento Lisa.  Elizabeth sorri: __Como se não há conhece-se, já faz muito tempo que convivemos juntas... As duas riram de repente a sentinela grita do alto do mastro principal.
___ Navios, Navios, a vista Capitão. Elizabeth pegou a luneta que estava no cós da sua calça, junta ao seu punhal e a sua espada, e dar uma olhada, meio agitada e diz: ___São dois navios Anne: Merolly que já estava fazendo o mesmo, pegando a sua luneta e se dirigindo ao bombordo e direcionou a mesma, em direção onde os estavam os navios e falou: ___Bandeira Inglesa _pode ser navios de cargas ou negreiro um è galeão e bem armado, o outro é uma caravela, não tem muita munição, e sabemos disso, nenhuma  condições de combate, Elizabeth lhe respondeu: ___ è ,  verdade .Um é navio de carga e o outro não tem bandeira, pode ser pirata do mar. Merolly dá uma olhada, meia com riso no canto da boca, então temos concorrência isso é bom, que dizer que temos trabalho a frente. Eliza vai e acrescenta: ___Trabalho, isso é bom já estamos criando teia de aranha, mas espadas, pela barba do tubarão. Elizabeth já começa a grita a tripulação. A qual já imediatamente começa a se movimentar no convés. ___Filhos de um cão sarnento, avante ao trabalho, carreguem os canhões,quem não estive trabalhando , vai dança na corda no mastro principal, meu tubarão de estimação iça as velas, mas rápido que vocês seus abutre. Elizabeth continuava a grita feito uma louca, quando se aproximou de Merolly e pergunta-lhe: __As ordem. Essa lhe respondeu: _ Vamos analisar a situação. Pois não sabemos com quem estamos lidando. As duas se direciona a proa e analisa a situação, e Merolly fala __Eliza olhar, um dos navios, estão sendo atacado pelo outro. Parece ser piratas, mesmo. Merolly fala: _Seguiremos a rota bem devagar, e nos aproximaremos, silenciosamente, só então nos posicionaremos. De uma forma que pegaremos os dois ao mesmo tempo, verticalmente. Mande preparar os barcos e os canhões e as armas também, podemos precisa delas, e tudo em máximo silencio, não quero alertar nossos inimigos... Imediatamente. Elizabeth começa a grita, Merolly ri e coloca a mão na boca fazendo o sinal de silencio, e volta a observar a situação. Elizabeth já fala, mas baixo, mas com Autoridade: __ velas baixas, reduza a velocidade a 35nó, e a aproximação, se realiza silenciosamente. Elizabeth deu as ordem e sair. Merolly continua a sua vigia, quando o navio se aproxima o bastante. Merolly viu a situação, mas de perto. Os navios estavam em uma luta, mortal, estavam danificados os dois, um, mas que o outro. Merolly foi e gritou:  ___Ao meu sinal, desceremos os barco, e tomaremos direção diferente, ai só os céus seja testemunhas, atacaremos ao mesmo tempo, um barril de rum para aquele que me trouxe a carga e o capitão vivo. Eliza continua e diz: ___e uma morte lenta e dolorosa aquele que não trouxe, experimentara o fio da minha espada na barriga, abutre, vermes. Merolly vai e fala, antes de dar o sinal atacaremos o mais danificado, e invadiremos. Depois já em posse desde, atacaremos o outro. E daqui Sr. Jones, atacara também para distraí_los. Eliza vai invadir e toma o outro navio, e riu alto. Todos em suas posições. Elizabeth manda descer os três barcos, cada um com 10 marujos, e tomaram direção diferente às duas. Ficou no navio o Sr. Jones, um dos comandantes, ele ficou para distrair os navios com os canhões. Eliza dá as ordens: ___Remem, filhos de uma baleia, remem, remem, quero beber rum na caneca do capitão. Merolly que estava no segundo barco, já estava de pistola em punho, e ordenava mais rápido, mais rápido. E se aproximaram com cautela, jogaram as ancoras de três pontas e subiram ao navio. E não foram visto, mais receberam lasca de madeira pela cabeça. Abaixaram-se de repente. Merolly viu  tinha mortos e feridos. E o capitão que estava detrás de um barril de pólvora, de arma em punho, ele levanta-se e vem em direção a Merolly. Essa pega sua pistola e seu punhal e se prepara, quando ele se aproxima, ela empunha a sua pistola em sua direção. Ele se assusta, pois ela não estava só, seus marujos estavam ao seu lado. Esses que já tomaram as sua necessária posições e prenderam o capitão, e seus marinheiros. Merolly que dar as seguintes ordens.

MEROLLY E SUA IRMÂO DE CORAÇÂO ELIZABETH !!


                    

Com sua Irmã e amiga Elizabeth, a qual conhecera em uma dessas viajem ao internato, viviam as mais perigosas aventuras. Elizabeth que era uma garota de 16 anos, mas sua vida era muito diferente , de Merolly, não teve pai Coronel, nem Mãe da corte, e sim filha de Ferreiro e uma mulher do Porto.
Sua vida nunca foi fácil, aprendeu desde cedo a viver com suas próprias mãos, lutando pela sua sobrevivência, serviu aos homens no porto. E ao mesmo tempo aprendeu com eles o ritmo do mar, e viver como uma guerreira, fria e amável, e agora era amiga fiel de Merolly. Sua Mão direta e esquerda é Capitão, Almirante, Marujo, Prostituta, tudo Elizabeth é. As duas se tornaram amigas sinceras, tanto que uma daria a vida pela outra. Já passou muitos apuros e dificuldade junta, uma salvando a outra, Elizabeth.
Conhece a Merolly como ninguém, só pelo olhar Elizabeth sabe o que Merolly pensa.
Elizabeth é a capitão para os marujos,pois ela quem dar as ordens e organiza tudo,
não  sabendo eles que Merolly que é a verdadeiro capitã. Essa tripulação que é
formada de fugitivos, negros, ladrões, assaltantes, homem que não tem amo a
nada,  só ao ouro e sua lliberdade.



Uma Linda Tarde de Verão

















Uma linda tarde de verão , reuniu  o cavaleiro Arthur Müller e suas irmas Anne e Merolly e  a prima  Hanne junto ao lado da propriedade ,pois recem chegada do Internado onde fica boa parte , Merolly amava fica assim a ouvir , poemas e poesias do amado irmão Arthur.Merolly nasceu na Inglaterra, e tinha um segredo desde seu nascimento. Filha do Coronel da Marinha real da Inglaterra, Sr. Peter Hans Muller e Dona Anne. Olhos castanhos, pele clara, cabelos  negros  que brilhava ao recebe a luz do sol, boca feminina convidativa a qualquer olhar, lábios rosados, assim é a jovem Merolly.Uma garota de 18 anos, mas mesmo com essas descrições delicadas, esconde um grande segredo. Perigosas aventuras no mar. Há pouco tempo descobrira ser filha ilegítima da Srª Anne Muller, com um capitão  Francês.
Mesmo vivendo na corte da Inglaterra, tinha uma enorme paixão pelo mar e seus mistérios. Ela tinha dois irmãos, o Arthur o irmão, mas velho e a Irmã, mas velha Anne diferença de um ano apenas de merolly foi criada praticamente pela ama negra Maria Gorda, a qual a chama de mona, que fora um presente da sua falecida mãe D.Anne. Quando ainda pequenina, foi descobrindo sua paixão pelo mar. E seu pai o Coronel Müller, percebendo esse interesse, pelo mar, a levava aos passeios no navio, e as viagem de férias da família, a  Geórgia  e outra  lugares. Coisa que sua Irmã, mas velha odiava , já o seu irmão Arthur amava , era dar uma de capitão, para pode, dar ordem aos marinheiros.
Já Merolly, essa queria era sabe de tudo detalhadamente, como funcionava. Cada ação do navio lhe era interessante.
Ficavam horas e horas olhando os mapas, como se fosse um verdadeiro capitão do mar. E assim foi crescendo. Quando chegou a certa idade, já sabia muito, mas que qualquer homem do mar, pois sempre estava tentando aprende. Ao completar 15 anos, e com a ajuda da sua ama Negra se vestiu de homem e foi para marinha. E lá aprendeu muito, mas, quando voltou. Teve que seguir o ritmo de sua Irmã Anne, indo para um internato de jovem, para aprende a ser uma dama. Coisa que não era muito do seu interesse, no começo ate que ela gostava, mas com certo tempo preferiu toma outro rumo, o do mar.